Contagem regressiva

domingo, 28 de maio de 2017

LUTO

Faleceu no dia 27 de maio de 2017 a escritora Ivanir  Nascimento Machado, que participou de diversas antologias da AEPTI.
Lamentamos o seu falecimento e como homenagem a ela postaremos aqui dois de seus textos publicados em nossas antologias, sendo uma crônica e um poema como seguem abaixo:

Publicado nas páginas 66 e 67 -  Antologia Encontros XVII -  2013
Ivanir Nascimento Machado

TOMANDO TENTO COM A VIDA
Em todas as vidas há um começo e em todas mudanças de vida um novo tempo, o qual pede respostas.
Em algum lugar num determinado momento uma criança está sendo preparada, ela irá nascer, fruto talvez de um descuido, um filho não planejado.
Estamos preparados, para contar uma história, fantasiar a realidade, quando os filhos sem pai presente nos perguntam dele?
Podemos dizer que foi um erro de “percurso” e até culpá-los para sempre de tal fatalidade e como responder aos milhares de filhos que crescem sem a figura paterna e que nem ao menos tem em sua certidão de nascimento o sobrenome de seu pai?
Refletindo sobre essas questões, vejo que os filhos “sem pai” não conseguem crescer na vida, se culpam por na progredirem e até se tornam rebeldes.
A vida nos cobra, a vida que deixamos de zelar.
Os filhos não são o acaso, precisamos encontrar o “fio do novelo.” Filhos e Natureza, os dois caminhos do bem.
Desfrutamos dessa terra o melhor. Filhos são frutos de Deus.
O homem tem o sêmen da vida, o fio do novelo.
O que será pior: deixarmos de cuidar da Natureza ou da Humanidade? Temos culpa, foi descuido ou desamor?
Podemos pensar em colocar a culpa nos outros, ou em nós mesmos, ou será o destino? Nada acontece por acaso!
Estou na idade em que posso e me permito algumas coisas, digamos que estou na melhor idade...
Ainda tenho respostas para dar, atitudes a tomar, buscar e reencontros por fazer. Mas como começar, achar o fio do novelo?
Quando agimos por impulso, seja pela inocência ou rebeldia, não contamos com as consequencias que vem pela frente.
Passamos por dificuldades, por experiências inexplicáveis, somos jovens em busca de liberdade, de sonhos.
Tudo nos impulsiona para frente, não temos temor, a inocência ainda paira sobre nós, mas o tempo passa e nem percebemos, deixamos a pureza antes mesmo de nos desabrocharmos, e chegam as responsabilidades que os seres destinam, deitamos e nos entregamos aos prazeres da carne que nos trarão uma mudança de vida para sempre, é um momento único, irreversível que muitas vezes resultam em filhos da inocência, os inesperados.
Vivenciando.
Publicado na Antologia Encontros XIII – 2009  página 125.
                                                              Ivanir Nascimento Machado
Exaltação a Itatiba

Itatiba terra abençoada
És rocha és edificada
És indígena Itatiba
De onde vem tanta força?
Da terra?
Do céu?
És unificada
És rocha
Cidade dos móveis coloniais e dos ricos artesanatos
Muitos imigrantes aqui chegaram
E se firmaram
Contribuindo para seu desenvolvimento
Itatiba cidade que a sua emancipação
Cidade única no mundo
Sendo abolida com antecedência
Liberdade, liberdade
Dia este 29 de abril de 1888
Itatiba terra crescente
Que a cada tempo é um tempo
Com o melhor ar do mundo
Itatiba que encanta
Todos que aqui chegou

Itatiba Princesa da Colina

Nenhum comentário: